CLDF aprova moção de repúdio a peça teatral

Deputada Sandra Faraj explicou que a medida era “pedagógica”, como um alerta da Câmara Legislativa para evitar que a educação sexual nas escolas seja feita com termos e objetos pornográficos e vulgares

 

22052018©_Ronaldo_Silva-7

Depois de muita polêmica principalmente entre pais e familiares sobre a peça teatral “O Auto da Camisinha”, encenada no Centro de Ensino nº3 de Planaltina, a Câmara Legislativa do DF aprovou na tarde de terça-feira (22/05) moção de repúdio à apresentação. Voltada para o público adolescente, a peça tratou de temas como sexo e doenças sexualmente transmissíveis, utilizando música e objetos vulgares e obscenos. “A educação sexual tem de ser feita por pessoas capacitadas. É uma peça vulgar e pornográfica. A aprovação da moção é um ato pedagógico”, defendeu a deputada Sandra Faraj autora da proposta.

A parlamentar ressaltou que a CPI da Pedofilia já aprovou requerimentos para verificar a responsabilidade da exibição do espetáculo. “Precisamos saber qual a faixa etária destinada, se foi feito em parceria com a orientação pedagógica. Não se pode tratar um assunto tão sério como doenças sexualmente transmissíveis com vulgaridade. É assunto muito sério para isto”, avaliou. Segundo ela, a peça foi inadequada e contrariou o Estatuto da Criança e Adolescente (ECA), por conter “encenações e músicas obscenas”.

 

 

Veja Também

Participe Comentando

' .